Eleições 2022

ENCONTRO GERA ESPECULAÇÕES SOBRE POSSÍVEL ACORDO ENTRE PRÉ-CANDIDATOS AO GOVERNO DO MARANHÃO

Circula nas redes de whastapp, nesta quinta-feira (17), uma imagem, diríamos estranha, do que poderia ter sido uma reunião entre… [ ]

18 de fevereiro de 2022

Circula nas redes de whastapp, nesta quinta-feira (17), uma imagem, diríamos estranha, do que poderia ter sido uma reunião entre pré-candidatos ao governo do Maranhão em busca de um possível acordo. Nomes, que seriam concorrentes na disputa destas eleições, e, ao que parece, podem estar costurando uma aliança.

Nos bastidores, circulam especulações de que PL, PSD e o MDB, juntos, estariam negociando uma chapa majoritária para enfrentar o governador Flávio Dino (PSB), dificultando, mais ainda, as coisas para o vice-governador Carlos Brandão (PSDB), que é o pré-candidato do grupo governista ao Palácio dos Leões.

Na possível mesa de negociações o senador Roberto Rocha (sem partido e em busca do PL para disputar governo ou Senado) e os deputados federais Hildo Rocha (MDB), Marreca Filho (Patriotas), João Marcelo Souza (MDB), Edilázio Júnior (PSD), principal articulador do pré-candidato Edivaldo Jr, Josivaldo JP (Podemos) e Josimar de Maranhãozinho (PL), que é pré-candidato ao governo do Estado.

A reunião é curiosa, pois Roberto, também pré-candidato ao governo ou ao Senado e que ainda está sem partido, busca siglas bolsonaristas, como o PL, para se filiar, desde que a legenda lhe dê condição para a majoritária. A presença de Edilázio pode ser um reflexo do recolhimento do ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Junior, em plena pré-campanha, o que já teve consequências nas últimas pesquisas.

Edivaldo é o pré-candidato ao governo pelo PSD. Mas, ao que parece, o partido pode estar busca uma composição majoritária com o PL de Maranhãozinho para formar uma chapa de oposição ao grupo dinista.

Nos bastidores, há especulações de que poderiam estar acertando uma composição de consenso para disputar governo e Senado no Maranhão. Roberto Rocha poderia ser o candidato ao governo e uma negociação estaria em curso para Edivaldo Júnior ser o concorrente de Flávio Dino ao Senado ou vice versa. O ex-prefeito iria ao governo; e o senador, à reeleição.

Há ainda quem acredite que a reunião foi apenas um encontro casual. Então, tá. Agora é aguardar o movimento das “marés políticas”.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!