Consumidor sem direitos

MAIS UMA VEZ EMPRESAS DE FERRY BOAT SÃO MULTADAS E PROVIDÊNCIAS NÃO SÃO TOMADAS

Atrasos, não emissão de nota fiscal, desrespeito a limites de ocupação, além de problemas com a acessibilidade, foram algumas das… [ ]

14 de janeiro de 2021

Atrasos, não emissão de nota fiscal, desrespeito a limites de ocupação, além de problemas com a acessibilidade, foram algumas das infrações registradas pelo Instituto de Promoção e Defesa do Cidadão e Consumidor do Maranhão (Procon/MA) nas fiscalizações rotineiras realizadas pelo órgão a ferry-boats.

Nesta semana, o órgão aplicou multas que totalizaram R$ 38.686,80 a empresas concessionárias do transporte aquaviário intermunicipal entre São Luís (Terminal Ponta da Espera) e Alcântara (Cujupe). Foram multadas as empresas Servi Porto e Internacional Marítima.

Além de atrasos de cerca de 1 hora em horários programados de saída, outras falhas identificadas pelo órgão foram a superlotação, evidenciada por passageiros que faziam a travessia em pé ou sentados no chão, bem como em locais que dificultam a circulação nos transportes, o que foi classificado como risco à saúde, vida e segurança dos consumidores.

Além disso, outras falhas como coletes pingando em cima dos passageiros, ausência de barras de apoio no banheiro acessível em um dos ferrys e ausência de informações como a precificação em uma das lanchonetes, causaram as multas.

Só que nos feriados de natal e ano novo e principalmente no período das eleições, o mesmo procon que multou as empresas agora, não conseguiu ver essas falhas. É incrível como o Procon sempre cria pautas na imprensa para está em evidência, já que só faz o que lhe convém.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!