Maranhão

MARANHÃO TERÁ DE QUALIFICAR 88.344 TRABALHADORES DA INDÚSTRIA ATÉ 2023

O Maranhão terá de qualificar 88.344 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e… [ ]

3 de outubro de 2019

O Maranhão terá de qualificar 88.344 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e divulgado nesta semana.

O estudo revela que as ocupações industriais que mais vão precisar de profissionais qualificados para atuar dentro e fora da indústria são mecânicos de manutenção e máquinas (2.328), trabalhadores de instalações elétricas (2.012), mecânicos de manutenção de veículos automotores (1.545) e eletricistas de manutenção eletroeletrônica (1.305).

A demanda prevista pelo estudo inclui, em sua maioria, o aperfeiçoamento (formação continuada) de trabalhadores que já estão empregados. Em parcela menor (27%) estão aqueles que precisam de capacitação para ingressar no mercado de trabalho (formação inicial). Nesse grupo estão pessoas que vão ocupar tanto novas vagas quanto postos já existentes e que se tornam disponíveis devido a aposentadoria, entre outras razões.

O coordenador de Ações Estratégicas da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema), José Henrique Polary, afirma que as empresas localizadas no estado vão contratar esses profissionais, desde que eles estejam preparados.

“A educação profissional é fundamental para o Maranhão. As empresas demandam muito a qualificação profissional e entendem que a mão de obra que é colocada no mercado por meio da educação formal está abaixo da demanda que o sistema produtivo precisa”, aponta.

Qualificação profissional

Já os cursos de qualificação são indicados a jovens ou profissionais, com escolaridade variável de acordo com o exercício da ocupação, e buscam desenvolver novas competências e capacidades. Ao final, o aluno recebe um certificado de conclusão. As áreas que mais vão exigir a capacitação de trabalhadores com esse tipo de formação.

O Mapa do Trabalho Industrial é elaborado a partir de cenários que estimam o comportamento da economia brasileira e dos seus setores; projeta o impacto sobre o mercado de trabalho e estima a demanda por formação profissional industrial (formação inicial e continuada). As projeções e estimativas são desagregadas no campo geográfico, setorial e ocupacional, e servem como parâmetro para o planejamento da oferta de cursos do SENAI.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!