Longe de Casa

MARANHENSE QUE ESTUDA EM WUHAN-CHINA QUER VOLTAR PARA O BRASIL ANTES QUE SEJA TARDE DE MAIS

Um grupo de brasileiros que vive em Wuhan — cidade onde se iniciou a propagação do coronavírus — pediu ajuda… [ ]

29 de janeiro de 2020

Um grupo de brasileiros que vive em Wuhan — cidade onde se iniciou a propagação do coronavírus — pediu ajuda ao Itamaraty para que possa sair da China.

Na última sexta-feira (25), a economista Indira Mara Santos, de 34 anos, encaminhou uma lista com os contatos de 31 brasileiros que moram em Wuhan — onde atualmente vigora uma quarentena que impede a população de deixar a cidade.

Logo que percebeu o agravamento da crise, Indira comprou uma passagem de volta para casa. Seus planos eram viajar de Wuhan a Xangai e de lá embarcar rumo ao Brasil para tranquilizar a família que mora no Maranhão. Mas não houve tempo: “Meus pais ficaram arrasados e eu, mais ainda”.

Estudante de doutorado da Universidade de Huazhong, Indira vive há um ano e meio em Wuhan e foi destacada para representar o grupo na conversa com a Embaixada do Brasil em Pequim, na China.

“Chegaram a cogitar a possibilidade de sair de Wuhan e seguir para outra cidade da China. Nós não aceitamos esta opção. Queremos sair do país e, se possível, voltar para o Brasil”, disse a economista. “A situação está se agravando aqui. Estamos todos muito preocupados com a propagação desse vírus. Nossas famílias estão preocupadas aí no Brasil. Queremos voltar para casa!”

O Itamaraty indicou na tarde desta segunda-feira (27) que os brasileiros em Wuhan terão de cumprir a quarentena determinada pelas autoridades chinesas: “O governo chinês tem mantido comunicação constante com os representantes diplomáticos e consulares e, até o momento, não considera organizar a retirada de estrangeiros das áreas já em situação de isolamento”.

O Itamaraty acrescentou ainda que “qualquer evacuação demandará, além da autorização chinesa, cumprimento das normas internacionais sobre quarentena e permissão de sobrevoo e pouso de avião com pessoas provenientes de área que experimenta surto da doença”.

A diplomata Helena Meireles Gonçalves Eloy, segunda secretária com posto na Embaixada do Brasil em Pequim, tem conduzido as conversas com a comunidade brasileira em Wuhan.

Segundo relato de Indira Santos, em conversa por telefone, Helena Eloy afirmou que haveria uma reunião nesta segunda-feira (27) da representação diplomática do Brasil com o governo da China para discutir a situação dos brasileiros.

De acordo com Indira Santos, a representante da Embaixada não chegou a dizer que o governo descarta resgatar os 31 brasileiros de Wuhan.

“Ainda não tivemos um retorno da embaixada objetivo sobre a possibilidade de sair daqui. A Embaixada dos Estados Unidos já se mobilizou para retirar seus cidadãos de Wuhan. Por que o nosso governo não pode fazer o mesmo?”

De acordo com reportagem do  The Wall Street Journal, publicada neste domingo (26), o Departamento de Estado dos EUA informou que está organizando um voo para retirar cidadãos americanos e diplomatas da cidade de Wuhan. O voo está programado para deixar a China nesta terça-feira (28) com destino a San Francisco, na Califórnia, segundo o jornal.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!