Estudos

PACIENTES CURADOS DA COVID RELATAM PROBLEMAS DE SAÚDE QUE NUNCA TIVERAM, MOSTRA ESTUDO

Centenas de milhares de americanos buscaram tratamento médico para problemas de saúde, após contraírem e se curarem da covid-19, que não… [ ]

18 de junho de 2021

Centenas de milhares de americanos buscaram tratamento médico para problemas de saúde, após contraírem e se curarem da covid-19, que não tinham antes de serem infectados, segundo o maior estudo feito até agora sobre os sintomas a longo prazo observados em pacientes que contraíram a doença.

O estudo, que monitorou quase dois milhões de pessoas nos Estados Unidos que contraíram o coronavírus no ano passado, concluiu que um mês ou mais após a infecção, quase um quarto delas – 23% – buscou tratamento médico relatando novos problemas de saúde.

E foram pessoas de todas as idades, incluindo crianças. Os problemas mais comuns relatados têm sido dores nos nervos e músculos, dificuldades para respirar, colesterol alto, mal-estar, cansaço e pressão alta. E também sintomas intestinais, enxaqueca, problemas de pele, anomalias cardíacas, transtornos do sono como também ansiedade e depressão.

Esses problemas têm sido comuns mesmo em pessoas que não adoeceram com o vírus. Embora quase a metade dos pacientes hospitalizados tenha relatado problemas de saúde, a situação também foi a mesma em 27% dos que apresentaram sintomas moderados ou leves da covid-19, e 19% dos que disseram ser assintomáticos.

“O que nos surpreendeu foi que a grande porcentagem dos assintomáticos entrou nessa categoria de sintomas de longo prazo da covid”, disse a médica Robin Gelburd, presidente da FAIR Health, organização sem fins lucrativos que realizou o estudo com base no que afirma ser o maior banco de dados abrangendo as empresas de seguro saúde.

Mais da metade dos 1.959.982 pacientes cujos registros foram analisados não reportaram sintomas da infecção por covid. E 40% tiveram sintomas, mas não foi necessária uma hospitalização, incluindo 1% cujo único sintoma foi a perda do olfato e do paladar. Somente 5% precisaram ser internados.

Segundo a Dra. Gelburd, o fato de as pessoas assintomáticas relatarem sintomas pós-covid é importante e deve ser enfatizado de modo que pacientes e médicos avaliem a possibilidade de que alguns problemas de saúde na verdade são efeitos secundários do coronavírus. “Há algumas pessoas que podem nem saber que tiveram a covid-19”, disse ela. “Mas se continuarem a apresentar alguns problemas que são incomuns no caso deles, vale a pena uma maior investigação pelos médicos que as estão tratando”.

O estudo analisou registros de pessoas diagnosticadas com a covid-19 entre fevereiro e dezembro de 2020 e as monitorou até fevereiro de 2021. E concluiu que 454.477 indivíduos consultaram um médico por causa de sintomas observados 30 dias ou mais após a infecção. De acordo com a FAIR Health, a análise passou por uma revisão acadêmica independente, mas não foi formalmente revisada por pares.

“A força deste estudo está no seu porte e habilidade de examinar uma série de problemas graves em diversos grupos de idade”, afirmou a Dra. Helen Chu, professora de medicina e doenças infecciosas na faculdade de medicina da universidade de Washington, que não participou da pesquisa.

O estudo “reforça o ponto de que a covid no longo prazo pode afetar quase todo o sistema orgânico”, disse o Dr. Ziyad Al-Aly, chefe do serviço de pesquisa e desenvolvimento do Health Care System de St. Louis, Virginia, que também não esteve envolvido no estudo.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!