Tem que explicar

POLICIAL CIVIL É SUSPEITO DE COBRAR R$ 800 PARA ‘INVESTIGAR’ CASO DE MULHER QUE TEVE FOTOS ÍNTIMAS DIVULGADAS NO MARANHÃO

A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) abriu um processo administrativo para investigar a conduta do investigador da Polícia… [ ]

29 de maio de 2023

A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) abriu um processo administrativo para investigar a conduta do investigador da Polícia Civil do Maranhão (PC-MA), Luís Fernando Costa Alves, acusado de ter cobrado R$ 800 para investigar um caso de vazamento de fotos íntimas de uma jovem, de 18 anos.

O caso aconteceu em 11 de janeiro, em Santa Inês, cidade a 250 km de São Luís. Entretanto, a portaria que autoriza o início das investigações, só foi publicada no dia 9 de maio, no Diário Oficial do Estado.

A vítima, uma jovem de 18 anos, procurou a Delegacia Regional de Santa Inês, em 10 de janeiro, para registrar um boletim de ocorrência e dar início à uma investigação envolvendo a divulgação de fotos íntimas.

Segundo a vítima, o investigador Luís Fernando Costa Alves a atendeu no plantão policial e afirmou que não poderia registrar o boletim de ocorrência.

No dia seguinte, em 11 de janeiro, o servidor cobrou R$ 800 reais para “solucionar” o problema da jovem. Além disso, ele ofereceu um atestado médico para que ela pudesse apresentar no trabalho e, supostamente, mencionou sobre o sistema ‘Guardião’, usado para combater crimes cibernéticos.

Ao g1, a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP-MA) informou que instaurou Procedimento Administrativo Disciplinar para apurar a responsabilidade funcional do referido investigador. A secretaria ressaltou que não compactua ou legitima ações e condutas que não coadunam com os princípios profissionais e éticos que orientam as atividades policiais. (Do G1MA)

0 Comentários

Deixe o seu comentário!