Mudanças

VIAGENS DE FERRYBOATS SÃO REDUZIDAS NO MARANHÃO POR CAUSA DO CORONAVÍRUS

No Terminal de Ponta da Espera, ferryboat saindo praticamente vazio, com o mínimo da capacidade para transportar veículos. A queda… [ ]

25 de março de 2020

No Terminal de Ponta da Espera, ferryboat saindo praticamente vazio, com o mínimo da capacidade para transportar veículos. A queda na movimentação obrigou as operadoras das embarcações a fazer mudanças. Ontem (23) as empresas cancelaram seis das 24 viagens programadas para o dia. E hoje (24) se formou uma fila de carros no estacionamento do Terminal de Ponta da Espera, em São Luís, aguardando uma vaga para embarcar.

“Estou aqui aventurando para pegar uma vaguinha. Sabia que eles iam diminuir, mas não sabia que era tanto”, lamentou o militar José Gomes.

A medida foi tomada para que as embarcações possam sair a partir de agora só com a lotação. Por isso, hoje as empresas diminuíram ainda mais a quantidade de viagens. As operadoras que operam aqui no terminal resolveram reduzir pela metade, a partir de hoje, a quantidade de viagens diárias entre São Luís e Alcântara. Antes eram 24, agora são só doze. Seis partindo da capital e as outras seis chegando.

A medida acabou pegando muita gente de surpresa e o resultado foi esse para quem não comprou passagem antecipada.

“Eles falaram que iam botar um extra, mas acabaram dizendo que não, que iam esperar a ordem da direção. E a gente fica aqui sem entender as coisas. Eu não comprei minha passagem antes e vim tentar comprar agora, mas só que até agora nada”, reclamou o eletricista Josiel de Jesus.

A Agência Estadual de Mobilidade Urbana (MOB) informou que as operadoras estão autorizadas a alterar o número de viagens, em caráter extraordinário, pelo prazo de 60 dias. “Nesse momento de crise é de fundamental importância o esforço de todos para vencermos o novo coronavírus. E o Governo do Maranhão está tomando todas as medidas necessárias para tentar conter essa pandemia”, disse Lawrence Melo, presidente da MOB.

Ainda de acordo com o órgão, as passagens adquiridas antecipadamente para viagens a partir do dia 24 de março de 2020, que não correspondam aos novos horários, deverão ser remarcadas nas bilheterias das empresas prestadoras do serviço. As vendas de bilhetes e remarcações serão realizadas apenas nos terminais da Ponta da Espera e Cujupe. Cao haja demanda e disponibilidade de embarcações, poderão ser realizadas viagens adicionais.

Horários dos ferryboats em São Luís. — Foto: Divulgação/MOB.

Horários dos ferryboats em São Luís. — Foto: Divulgação/MOB.

Terminal ferroviário de São Luís

No terminal ferroviário de São Luís, também houve mudanças no transporte de passageiros pelo trem da Vale desde ontem. Para atender à recomendação das autoridades e manter a distância mínima entre as pessoas dentro dos vagões, a empresa reduziu pela metade a quantidade de passageiros transportados a cada viagem. Quem tentou comprar passagem em cima da hora, não achou.

“É difícil a passagem, pois só leva no limite e quando passa não tem condições de levar”, disse o aposentado Raimundo Campos.

Já quem conseguiu comprar passagem e estava embarcando tinha que passar pelo monitoramento das equipes de segurança. Um termômetro media a temperatura corporal dos passageiros para sabe quem estava com sintomas da gripe, como febre.

“Comprei a passagem online e vi que tinha reduzido em 50% por questão de segurança, para ficar aquela distância de um metro de pessoa a outra. Por isso eu optei vir de trem, porque é muito mais seguro”, afirmou o universitário Igor Salazar.

Apesar das medidas de segurança adotadas para dentro do trem, antes na fila para entrar havia aglomeração e muitos passageiros no saguão aguardando muito próximos um do outro, mas atentos aos cuidados que cada um deve ter para evitar o contágio de doenças nesse período de pandemia do coronavírus.

“O que todos nós temos que fazer é tomar algumas precauções, lavar as mãos, usar álcool em gel, evitar o máximo de contato com as pessoas, viajar só se for de extrema necessidade. Esses cuidados básicos para que tanto a gente quanto as outras pessoas fiquem seguras”, destacou a estudante Maria Stefany.

O professor Márcio Soares também está por dentro das medidas de segurança. “É não ter muito contato com as pessoas, por causa do toque. Quando ir ao banheiro lavar bem as mãos e pegar com o papel na maçaneta ao sair, esses cuidados básicos. E também evitar espirrar perto das pessoas”, alerta.

Esses passageiros viajaram ontem às 8h. E hoje, às 7h30, o trem da Vale já estava de volta. Não conseguiu seguir viagem até a última parada em Marabá, em Parauapebas, no estado do Pará, pois o governador Helder Barbalho fez um decreto proibindo a entrada do trem de passageiros no estado. A justificativa é fechar as divisas do Pará, para o controle da pandemia do coronavírus.

“A gente foi barrado de Açailândia, não deixaram passar. A gente mora lá no Pará e não pôde ir pra lá, voltamos pra cá. Foi o governador que interditou tudo, tivemos que voltar e vamos ficar até liberar”, lamentou a dona de casa Maria Madalena.

Os passageiros chegaram frustrados, mas tiveram direito ao reembolso ou remarcação da passagem. A empresa também disponibilizou ônibus para fazer o transporte de volta para casa.

A Vale informou que por enquanto, as viagens do trem de passageiros estão suspensas e que avalia a possibilidade da circulação do trem apenas entre a capital e o interior do Maranhão. Mas que ainda não há nenhuma definição sobre isso. A empresa disponibilizou o telefone do Alô Ferrovias, pelo número 0800-285-7000, para outras informações.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!